Como saber se meu ambiente de TI está vulnerável?


Infelizmente, muitas empresas só passam a prestar atenção nas vulnerabilidades do seu ambiente de tecnologia após a ocorrência de alguma violação de segurança.

Nesse sentido, este artigo tem como objetivo alertar sobre a importância de uma política de segurança proativa e defensiva, apresentando os principais riscos, como identificá-los, e principalmente, como se proteger das vulnerabilidades às quais um ambiente de Tecnologia da Informação pode ser exposto.

A importância da segurança dos dados

Cada vez mais, a quantidade de informações que as empresas precisam manter em segurança aumenta. São inúmeros bancos de dados contendo informações sobre transações, comunicações, infraestrutura, expertise empresarial e etc.

Não é nenhuma novidade que na Era da Informação, um dos principais ativos organizacionais é justamente a informação, então, se já era importante cuidar da segurança destes dados, agora, com a regulamentação da Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD, esta responsabilidade fica ainda maior.

Podemos citar três fatores que justificam (e muito) a importância da proteção:

1- Reputação em jogo

Criar uma boa reputação pode exigir anos para se conseguir, mas pode ser destruída em poucos minutos.

Quando um incidente de segurança acontece e dados são violados, mais do que dinheiro, temos prestígio e confiança em jogo, que podem impactar diretamente nas oportunidades de crescimento da empresa.

2- Prejuízo operacional e despesas com reparações

A Kaspersky Lab, empresa internacional especialista em segurança digital, divulgou um relatório mostrando que a ocorrência de violações de segurança em pequenas e médias empresas podem causar prejuízos de US $ 46.000 a US $ 620.000, variando de acordo com os danos causados.

A pesquisa levou em consideração os prejuízos operacionais, ou seja, a paralisação do fluxo de trabalho, multas, e reestruturação do ambiente operacional, de rede e da segurança como um todo.

3- Multas

Com a sanção da LGPD, as empresas são juridicamente responsáveis ​​pelo roubo de informações (físicas ou digitais), sejam elas sobre funcionários, clientes, transações financeiras, dados de acesso e etc.

Além de não poderem ocultar tais incidentes, serão penalizadas com multas que podem chegar em até 50 milhões de reais por infração cometida.

Para conhecer na íntegra as principais informações sobre a nova Lei, não deixe de conferir o nosso artigo completo sobre o assunto.

Quais os riscos de um ambiente de TI vulnerável?

Antes de conhecermos os riscos em si, é fundamental nos atentarmos a dois termos importantíssimos neste cenário: ameaça e vulnerabilidade.

  • >> Ameaça: uma ameaça pode ser interpretada como um evento ou pessoa capaz de afetar determinado recurso, quase sempre, valioso.
  • >> Vulnerabilidade: já a vulnerabilidade é uma característica de um recurso (ou do ambiente em que esse recurso está inserido) que permite que a ameaça consiga alcançar o seu objetivo (afetar o recurso).

Para ficar mais claro, analisaremos a seguinte situação: Um grupo armado com o objetivo de roubar um cofre.

O grupo armado seria a ameaça e o cofre, o recurso valioso.

Se o cofre não tiver senha, e o acesso a ele for muito fácil, claramente, o cofre estará extremamente vulnerável.

Por outro lado, se o cofre possuir senha, estiver em uma sala trancada, e com diversas dispositivos de segurança, consequentemente, menos vulnerável ele estará.

As ameaças continuam existindo, mas seus efeitos prejudiciais são mitigados através dos mecanismos de segurança (senha, sala trancada e etc). De modo semelhante, é o que acontece nos ambientes de TI.

Riscos em ambientes de Tecnologia da Informação

Podemos agrupar os riscos de um ambiente de TI em 3 categorias básicas: riscos ambientais, físicos ou técnicos.

Riscos ambientais 

Os riscos ambientais estão diretamente ligados a problemas causados, principalmente, pelo local em que a infraestrutura está alojada, como:

  1. >> Desastres naturais (chuvas, inundações, relâmpagos, poeira);
  2. >> Riscos de incêndios, fumaça;
  3. >> Animais (insetos, roedores);
  4. >> Vazamento de água;
  5. >> Interferências (eletromagnética, eletrostática e etc.);

Riscos físicos 

Os riscos físicos englobam as ações realizadas por funcionários, usuários, ou clientes que têm acesso ao ambiente de TI, neste sentido, podem ocorrer:

  1. >> Vandalismo, roubo, sabotagem;
  2. >> Acesso não autorizado;
  3. >> Extorsão, terrorismo;
  4. >> Transporte, montagem, armazenamento ou manutenção inadequados, como a queda de um equipamento, ou derramamento de água;
  5. >> Funcionários sem preparação técnica adequada;

Riscos técnicos

Os riscos técnicos são aqueles presentes nos próprios sistemas de TI, como:

  1. >> Ataques de crackers;
  2. >> Ataques automatizados de bots;
  3. >> Configuração inadequada de software ou hardware;
  4. >> Operação inadequada de equipamentos, por exemplo, operar além da capacidade estabelecida pelo fabricante;
  5. >> Uso de softwares não licenciados;
  6. >> Falhas em softwares de segurança;
  7. >> Acesso lógico não autorizado
  8. >> Softwares maliciosos (backdoor, spyware, worms, entre vários outros.)

Todos esses riscos devem ser mitigados por meio de uma Política de Segurança da Informação muito bem estruturada, mas,  para descobrir se um ambiente de TI está vulnerável a ataques, faz-se necessário o uso de testes de vulnerabilidades, que vamos discutir no próximo tópico.

Como funcionam os testes de vulnerabilidade (pentests)?

O Pentest, (Teste de Invasão ou Teste de Penetração), é uma técnica que tem como principal objetivo procurar e avaliar se há pontos de vulnerabilidade na segurança que podem ser alvo de possíveis invasores.

O pentest funciona como uma simulação de um ataque hacker, em que o profissional, chamado de Pentester, identifica as falhas de segurança existentes por meio de técnicas e ferramentas que o auxiliam.

Após essa análise, deve ser feito um relatório apresentando todos os problemas encontrados, de modo que se torne possível saber exatamente quais atitudes precisam ser tomadas para corrigir as falhas e mitigar as vulnerabilidades encontradas.

Com que frequência devo realizar o teste de penetração? 

Alguns fatores podem influenciar nessa decisão, como o tamanho da empresa e o orçamento disponível para investimentos em segurança.

Porém, para garantir a segurança é muito importante que a execução dos testes seja feita de forma constante e regular, e inclusive, em conjunto com outros métodos preventivos, como as ferramentas de análise de vulnerabilidades.

Dicas para manter seu ambiente de TI protegido

São necessários diversos procedimentos para se manter um ambiente de TI protegido – desde o treinamento dos colaboradores até mecanismos de hardware e software.

Então, confira agora algumas dicas básicas:

Treine os colaboradores

Em um sistema de segurança, sem dúvida, o elo mais fraco é o fator humano. Não adianta contar com os melhores recursos tecnológicos de segurança se os recursos humanos não possuem conhecimento suficiente para driblar as armadilhas digitais e as técnicas de engenharia social utilizadas pelos crackers. Portanto, priorize a educação digital dos funcionários.

Criptografe seus dados

A criptografia de dados é um método de segurança digital que consiste em transformar uma informação em códigos ou esconder a escrita, de forma que, apenas quem recebe e envia consegue compreender, utilizando uma chave criptográfica capaz de decodificar tal informação.

Mantenha os dispositivos de software e hardware atualizados

Manter os sistemas e equipamentos atualizados é essencial, pois, entre os benefícios apresentados, está a melhoria dos mecanismos de segurança e a resolução de bugs das versões anteriores.

Uma dica para garantir que o sistema esteja sempre rodando com a versão mais recente é programar a realização do download automático de atualizações.

Use firewall

Uma outra dica é a utilização de um firewall, que é um dispositivo de segurança composto por um conjunto de regras que avalia o tráfego de rede e determina quais operações transmitidas e recebidas podem, ou não, ser executadas. Ou seja, ele bloqueia dados indesejados e perigosos considerados ameaças aos sistemas e a rede.

Tenha uma empresa de segurança parceira

Nenhum método isolado é suficiente para proteger 100% um sistema de tecnologia, então, é essencial contar com a ajuda de especialistas em segurança capazes de realizar análises macro de todo o ambiente de TI, identificando e mitigando os riscos e as vulnerabilidades encontradas.

Para se gerir uma organização bem-sucedida, manter o ambiente de TI estável é crucial, pois a segurança da informação pode representar o seu sucesso ou o seu fracasso.

Independente do tamanho da empresa, a Suporte 24×7 dispõe de ferramentas, plataformas e profissionais habilitados para atender a sua demanda, então, não espere um incidente ocorrer para buscar ajuda e entre em contato conosco agora mesmo.

Publicada em Blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *